NAVEGUE
HOME   
GUIA COMERCIAL   
CLASSIFICADOS   
   SERVIOS
Cadastre-se   
Notcias   
Fale Conosco   
Utilidades   
Termos de Uso   
Anuncie aqui!   
Poltica de Privacidade   
Links teis   
   ENTRETENIMENTO
Mural de Recados   
Dicas   
Enquetes   
Canal esotrico   
Receitas   
   O BAIRRO
Lapa News   
Histria do bairro   
Parques   
Reparties   
Igrejas e Entidades   
Bairros da Lapa   
Hospitais   
Terminal Lapa   
Postos de Sade   
Telecentros   
   NOTCIAS
Colunas   
Notcias da Cidade   
Cultura   
ltimas Notcias   
Finanas Pessoais   
RECEBA NOVIDADES
CLASSIFICADOS LAPA | Classificados Grtis, Guia Comercial, Notcias, Dicas
Nome:
E-mail:
PARCEIROS
DM Arts Networks
::: Confira:
Veja como se formou o temporal que atingiu Santa Catarina
Encontro de duas massas de ar diferentes pode ser a causa dos temporais. Choque trmico produziu granizo e ventos em nuvens a 12 km de altura.




Imagens de satlite foram analisadas pelos meteorologistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e mostram como a tempestade atingiu Santa Catarina.

O fenmeno foi provocado pelo deslocamento de uma frente fria intensa, que se formou na Argentina. Ela subiu, cruzou o Rio Grande do Sul e Santa Catarina at encontrar a massa de ar quente e mida estacionada no sul do pas.



O choque trmico deixou as nuvens com mais de 12 km de altura, que produziram granizo e ventania.


"Estamos no final do inverno, faltam menos de duas semanas para acabar o inverno e entrar na primavera. Ento nessa poca o sol j comea a ficar mais quente, j aquece a superfcie com mais fora, mas a atmosfera ainda est um pouco mais fria, o oceano est um pouco mais frio. Isso gera contrastes de temperatura, e eles so ingredientes para a formao de tempestades mais severas", explica o meteorologista do CPTEC/INPE, Giovanni Dolif.



Os pesquisadores estudam tambm a possibilidade da destruio ter sido provocada por um tornado. Mas como o pas no possui radares que fazem esse tipo de medio, preciso ter imagens de um redemoinho, uma nuvem em forma de funil, para caracterizar o fenmeno.

Para os meteorologistas o mais provvel que a regio catarinense tenha sido atingida por outro tipo de fenmeno, que pode facilmente provocar ventos superiores aos que foram registrados no sul do pas.

So as micro-exploses. A formao tambm comea num choque de frente fria com massa de ar quente. Neste caso, o ar frio desce direto para o solo e ganha velocidade causando ventos fortes que provocam destruio em grandes reas ao mesmo tempo, fenmeno que pode se repetir nos prximos dias.


"Tem previso de algumas pancadas mais fortes de chuva. A previso de tempestades tornsticas, aquelas que geram tornados, difcil prever com antecedncia. Mas situaes de tempos severos, trovoadas, rajadas de vento e at possibilidade de granizo ainda podem voltar a acontecer", conclui Dolif.

O deslocamento da tempestade

Imagens tiradas por volta das 22h40 desta tera-feira (8) pelo satlite "Goes" mostram manchas azuis, mais fortes, indicando nuvens que atingem maiores alturas e que tm grande concentrao de gua e gelo, alm de ventos fortes.

Elas continuam presentes em boa parte do estado de So Paulo. As tempestades que passaram pela capital foram para o mar e enfraqueceram-se um pouco, mas muitas nuvens de chuva esto indo para o Rio de Janeiro.



Notcia Postada em 09/09/2009

 
ANUNCIANTES
COPYRIGHT © 2006 - CLASSIFICADOS LAPA- Todos os direitos reservados Produzido por: DM Arts Networks